Sukhoi T-4 Sotka - O Valkyrie Soviético

.
.
.
.
O Sukhoi T-4 Sotka, por vezes também designado por Su-100, foi o protótipo de avião supersónico destinado a missões de bombardeamento (incluído bombardeamento nuclear estratégico), reconhecimento, e operações anti-navio, desenvolvido na União Soviética pela Sukhoi durante a década de 1960 até início da década de 1970. 
O objetivo era desenvolver uma aeronave análoga ao North American XB-70 Valkyrie capaz de atingir velocidade de mach 3 (3200 km/h), porém após a construção de um protótipo que exigiu um esforço maciço na pesquisa de tecnologias de materiais e fabrico de estruturas capazes de suportar o voo sustentado à velocidade supersónica estipulada, em 1974, o Ministério da Indústria da Aviação ordenou a suspensão do programa de desenvolvimento, e um ano depois em dezembro de 1975 o projeto T-4 seria oficialmente cancelado. O único protótipo concluído designado para destruição. Sobreviveria no entanto estando hoje patente a público no Museu Central da Força Aérea Russa em Monino perto de Moscovo.

SAAB J 35 Draken

.
.
.
.
O SAAB J 35 Draken foi um dos mais famosos caças projetados e construídos na Suécia pela SAAB e foi o primeiro avião de combate totalmente supersónico implantado na Europa Ocidental. Foi desenvolvido a partir de finais da década de 1940 inícios da de 1950 e caracterizava-se por possuir uma inovadora e nunca antes experimentada asa de duplo deltaO Draken foi introduzido ao serviço da Real Força Aérea Sueca (Flygvapnet) em março de 1960 destinando-se exclusivamente à defesa aérea do país. Operou como um caça supersônico durante todo o período da Guerra Fria sofrendo ao longo desse período várias atualizações, que culminaram na sua versão final o J 35J. Durante a década de 1980 os Draken foram em grande parte substituídos pelo caça mais avançado Saab 37 Viggen mas algumas unidades mantiveram-se ao serviço da Flygvapnet até 1999.
O Draken foi exportado para a Áustria, Dinamarca, e Finlândia e algumas unidades para os EUA onde operaram como aeronaves de instrução para pilotos de testes.

Fairey Fulmar

.
.
.
.
O Fairey Fulmar foi um caça naval de dois lugares desenvolvido pela Fairey Aviation Company Limited e construido após a eclosão da segunda guerra mundial para a FAA (Fleet Air Arm) com consideráveis semelhanças ao bombardeiro ligeiro Fairey Battle.
Embora o seu desempenho não fosse espetacular, demonstrou ser modestamente bem sucedido durante a fase inicial da guerra, cumprindo adequadamente a sua função até a FAA conseguir obter um substituto mais capaz, ainda que dentro da sua linha de desenvolvimento, o Fairey Firefly.
Durante a Segunda Guerra Mundial os Fulmar destruíram 112 aeronaves inimigas, um numero que pode parecer modesto, porém esse numero de vitórias aéreas tornam-no o caça naval da FAA (Fleet Air Arm) com o maior numero de vitórias durante o conflito.

Rockwell B-1 Lancer

.
.
.
.
O Rockwell B-1 Lancer é um bombardeiro pesado de longo alcance, ao serviço da USAF, capaz de voar missões, nucleares ou convencionais, intercontinentais sem reabastecimento.
O bombardeiro pesado parecia estar a caminho da extinção durante a década de 1960, devido ao advento dos misseis estratégicos de longo alcance, que já conduzira ao cancelamento do incomparável “North American B-70 Valkyrie”. Apesar disso nas décadas de 1970 e 1980 a USAF continuava a sentir necessidade de obter um bombardeiro de largo espectro e longo alcance, capaz substituir o idoso, embora muito capaz e confiável, Boeing B-52 Stratofortress, e por isso, impulsionou o desenvolvimento de uma nova aeronave. Quando o Lancer entrou em operação como bombardeiro nuclear estratégico, a capacidade destruidora, da sua carga bélica de 24 bombas termonucleares  B61 ou B83, era algo que estava para além da imaginação. Felizmente, porém, tal capacidade nunca teria que ser demonstrada graças aos acordos de limitação de armas nucleares (START),  e ao subsequente fim da guerra fria. O Lancer seria então adaptado para funções de ataque pesado convencional com capacidade de operar a nivel global.

Messerschmitt Me 163 Komet

.
.
.
.
O Messerschmitt Me 163 Komet, foi o primeiro e único avião de combate movido exclusivamente por um motor de foguete, a entrar efetivamente em operação. Desenhado por Alexander Lippisch, para a Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, tinham um design revolucionário e atingia uma velocidade inigualável para época. O piloto de testes alemão Heini Dittmar em 6 de julho 1944 atingiu a velocidade de 1130 km/h, pilotando o Me 163B V18 (VA+SP). Este registo, não oficial, só seria quebrado em termos de velocidade absoluta em 6 de novembro 1947 por Chuck Yeager no voo numero 58 do Bell X-1, com 1434 km/h, e só voltaria a ser quebrado quase uma década depois.
Apesar da sua velocidade inigualável o Komet foi totalmente ineficaz como caça intercetor tendo abatido apenas nove aviões aliados (dezasseis segundo outras fontes), até ser abandonado a favor do eficaz Messerschmitt Me 262 Schwalbe.