Potez 63

.
.
.
.
Potez 63 foi uma serie aeronaves bimotor introduzidas na força aérea francesa (Armée de l'Air) no final da década de 1930, imediatamente antes do inicio da segunda Guerra Mundial. O seu surgimento acompanhou, em França, as tendências da aeronáutica militar na época, que na Alemanha proporcionaram o desenvolvimento do Messerschmitt Bf 110 e na Grã-Bretanha do Bristol BlenheimO surgimento destes caças bimotor resulta do conceito, á época emergente, de caça pesado, uma aeronave de longo alcance capaz de escoltar bombardeiros nas incursões sobre território inimigo, realizar patrulhas de longa duração, e ser capaz em certa medida de realizar interceções durante o dia e a noite. Este conceito levou a que as aeronaves projetadas para estas funções evoluíssem de forma diversa dos tradicionais caças, para aeronaves bimotor de dois ou mais tripulantes com uma alcance elevado e armamento pesado, características conseguidas com sacrifício da agilidade presente nos caças comuns. Os caças pesados que emergiram no final da década de 1930 não foram nunca, por isso, totalmente satisfatórios, e o Potez 63 não foi exceção, no entanto em 1936 quando foi apresentado, estava tão perto de atingir os objetivos para o qual fora projetado como qualquer um dos seus contemporâneos.

Rockwell OV-10 Bronco

.
.
.
.
O Rockwell OV-10 Bronco foi uma aeronave de reconhecimento e ataque ligeiros desenvolvida nos EUA durante a década de 1960 ao abrigo do programa “Light Armed Reconnaissance Aircraft” (LARA), que pretendia obter uma aeronave para operações de contra-insurgência (COIN) e controlo aéreo táctico em operações de ataque de precisão (FAC). A necessidade de uma aeronave deste tipo fora identificada pelos militares Norte Americanos no inicio da Guerra do Vietname e foi aí que o Bronco demonstrou a sua utilidade ao serviço do exercito (US Army) e do corpo de fuzileiros (US Marine Corps). O uso da aeronave pelos militares Norte Americanos prolongou-se até á primeira Guerra do Golfo em 1991 e hoje embora tenha sido retirada do serviço das forças armadas continua em uso nos EUA nomeadamente no apoio ao combate a incêndios na California, permanecendo ainda em serviço militar em alguns países. A Boeing (atual detentora da licença de produção da aeronave) propôs recentemente (2009) uma versão moderna do Bronco, o OV-10X para concorrer ao programa “Light Attack/Armed Reconnaissance” (LAAR), porém a aeronave não consta da lista dos finalistas do programa.

IOMAX Archangel, L3 AT-802L Longsword e LASA T-Bird

.
.
.
.
Algumas aeronaves militares têm origens improváveis. Entre estas encontram-se duas modernas aeronaves ligeiras de ataque e vigilância resultantes da conversão de aeronaves originalmente concebidas para a agricultura. O L3 AT-802L Longsword deriva do Air Tractor AT-802, que partilha a mesma plataforma do anfíbio de combate a incêndios AT-802F Fire Boss, e o  IOMAX S2R-660 Archangel muito semelhante ao Longsword mas que resulta da conversão de células de aeronaves agrícolas Thrush 710. Estas aeronaves, frequentemente confundidas pela sua semelhança visual, têm uma origem comum que remonta á segunda metade da década de 1950 e ao primeiro avião especificamente desenvolvido  para a agrícultura, o  Snow S-2R concebido por Leland Snow e que definiu as características e o desenho básico de todos os aviões agrícolas construídos daí até aos nossos dias. São essas características comuns, robustez, capacidade de operar a partir de pistas improvisadas, boa manobrabilidade e comportamento em voo e elevada capacidade de carga que conduziram ao seu atual aproveitamento para fins militares.
Esta é a sua história…do nascimento da aeronave agrícola por excelência ao seu aproveitamento para fins militares e outros mais pacíficos como o combate a incêndios.

Zeppelin - Dirigiveis rigidos alemães

.
.
.
.
A palavra Zeppelin (Zepelim em português), hoje sinónimo de “dirigível rígido”, ou “dirigível”, teve origem no nome do conde Ferdinand von Zeppelin, que no início do século XX projetou e construiu os primeiros dirigíveis rígidos, tornando-se pioneiro no transporte aéreo de passageiros e carga por via aérea. Nos anos que antecederam a Primeira Grande Guerra, o exército e marinha alemãs viram o Zeppelin como uma potencial arma de guerra e por isso financiaram as pesquisas da Luftschiffbau-Zeppelin,GmbH que o Conde criara para construir e explorar comercialmente as aeronaves. Durante a Guerra o exército e principalmente a marinha alemãs fizeram uso extensivo de dirigíveis para reconhecimento e bombardeamento (mais de 100 dirigíveis foram construído e usados durante a Guerra), mas foi nas décadas de 1920-30 que os Zeppelins atingiram o auge, estabelecendo rotas de transporte de passageiros entre a Europa e a América. Poucos anos antes do início da Segunda Guerra Mundial, o Zeppelin seria eclipsado dos céus devido ao acidente do LZ-129 Hidenburg., que, não sendo o mais grave dos acidentes ocorridos com dirigíveis, seria o pretexto para a irradicação destas aeronaves do uso civil. 

Supermarine Spitfire

.
.
.
.
Talvez nenhuma outra aeronave tenha atingido tanta fama como o Supermarine Spitfire, um caça britânico, geralmente considerado como um dos melhores caças a imergir da Segunda Guerra Mundial. 
Beneficiando de constantes melhorias e aperfeiçoamentos durante todo o seu período de produção, esteve sempre um passo a frente dos adversários mais directos, e manteve-se ao serviço da RAF durante toda a Segunda Guerra Mundial, e posteriormente até aos anos 50 do Séc. XX. 
No final da Guerra os inumeros Spitfire sobreviventes que se tornaram excedentários da RAF, foram adquiridos por mais de 30 forças aéreas de todo o mundo, tendo sido usados em conflitos regionais incluindo a Guerra da Coreia.
Ao todo foram produzidos 20351 spitfires nas suas, cerca de 40 versões, um número que o tornou o segundo caça mais produzido na Guerra (ultrapassado apenas pelo Alemão Messerschmitt Bf 109).